Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. + sobre cookies

Notícias e Eventos

Notícias

DGS emitiu medidas para aumentar a segurança nos dentistas

4 Maio 2020

Para conhecimento de Associados que desenvolvam actividade de clínicas e consultórios dentários, anexo informação:

 

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) emitiu uma orientação relativa á reabertura de Clinicas dentárias e Dentistas:

https://www.dgs.pt/directrizes-da-dgs/orientacoes-e-circulares-informativas/orientacao-n-0222020-de-01052020-pdf.aspx

 

Entre as directrizes da DGS, contam-se:

 

  • Nenhum consultório de dentista deverá atender utentes sem marcação prévia através de contacto remoto e ter um plano de contingência actualizado.
  • Todos os espaços deverão disponibilizar máscaras cirúrgicas sempre que os utentes não possuírem e solução alcoólica à entrada do consultório, clínica ou serviço.
  • A máscara deve ser usada dentro do espaço de sala de espera ou recepção, só removendo quando estiver no gabinete de consulta.
  • Devem ainda ser retiradas revistas, folhetos, máquinas de café, dispensadores de água, entre outros objectos que possam ser manuseados por várias pessoas, das salas de espera.
  • Profissionais e consultórios devem ainda “proteger com barreiras plásticas ou em papel de alumínio descartáveis as superfícies mais expostas ao contacto com as mãos do gabinete de consulta”, como é o caso de equipamento informático, da pega do candeeiro, do tabuleiro, painel de comando da cadeira, instrumentos rotativos, entre outros.
  • Remotamente, o utente deve sempre ser questionado sobre possíveis sintomas sugestivos de Covid-19, bem como sobre eventuais contactos recentes com sujeitos infectados. Caso se verifique, a consulta deverá ser reagendada. Contudo, “na necessidade imperiosa de observar um caso suspeito ou confirmado de Covid-19, em situações urgentes e inadiáveis, considerar o agendamento da consulta, ao final da manhã ou da tarde, em horários específicos, por forma a não existir partilha da sala de espera, sempre com utilização de equipamento de protecção para procedimentos de alto risco”.
  • Uma vez no consultório, os utentes devem cumprir com o distanciamento mínimo de dois metros, evitar tocar em superfícies desnecessariamente e optar pelo pagamento através de meios que evitem contacto físico. Nas instalações, a abertura de janelas é preferível em relação ao uso de ar condicionado. Ainda, nesse caso, o seu funcionamento deve ser em modo de extracção e não de recirculação de ar.
  • Médicos e assistentes devem retirar todos os adereços — anéis, pulseiras, colares, brincos e relógios –, bem como manter as unhas naturais, curtas e limpas, sem usar unhas artificiais ou outro tipo de extensores, verniz, gel ou gelinho.
  • O equipamento de protecção individual a usar inclui máscara cirúrgica, óculos de protecção ou viseira, luvas e uniforme e calçado de uso clínico. Bata ou fato de protecção completo, um segundo par de luvas, cógula, touca e cobre-botas devem ser considerados no caso de procedimentos de alto risco ou se o utente foi um caso suspeito ou confirmado de Covid-19.

 

  • Durante a consulta, devem:
  • Garantir que os objectos de uso pessoal não estão expostos durante a consulta e que são alvo de uma desinfecção regular;
  • Manter sempre a porta fechada do gabinete;
  • Evitar, sempre que possível, a realização de procedimentos que resultem na formação de aerossóis;
  • Instruir o utente, antes de qualquer procedimento, a bochechar por 30 segundos com solução de peróxido de hidrogénio a 1%1 ou iodopovidona a 0,2%2;
  • Utilizar a aspiração cirúrgica para diminuir a disseminação de aerossóis;
  • Colocar dique de borracha sempre que indicado;
  • Utilizar instrumentos rotatórios com válvula anti-retorno 3 e usar protecções descartáveis;
  • Dar preferência às radiografias extra-orais, em detrimento das intra-orais;
  • Dar preferência à sutura reabsorvível após as extracções.
  • A desinfecção de superfícies, a renovação do ar e a esterilização de material são obrigatórios após a consulta. Enquanto equipamentos reutilizáveis, óculos de protecção e viseiras devem ser pulverizados com álcool a 70º ou submersos numa solução de cloro. A roupa deve ser lavada a altas temperaturas. Caso não haja máquina de lavar no local, deve ser posta num saco de plástico fechado e depois colocada directamente na máquina.
  • Na lavagem de chão e superfícies devem ser usadas substâncias específicas, nomeadamente o hipoclorito de sódio.

 

Facebook Linkedin Twitter Pinterest