Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

Quem Somos

Mensagem da Presidente

A 1 de Abril de 1870 seria oficializado em Acta e Assembleia a constituição da ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE LOJISTAS DE LISBOA.

Esta estrutura passaria por diversas transformações quer na sua forma constitutiva quer denominativa.

Assim, a partir de 1940 passaria a denominar-se União de Grémios de Lojistas de Lisboa, em 1975, com o advento da democracia, transformar-se-ia em União das Associações de Comerciantes do Distrito de lisboa. E, a partir de 2011, com a crescente importância do sector dos serviços na economia nacional e local alargaria o seu âmbito também para os serviços, passando desde então a denominar-se União de Associações do Comércio e Serviços da região de Lisboa e Vale do Tejo.

A sua constituição teve como base a necessidade de num sector cada vez mais crescente na economia nacional, ver os interesses dos seus empresários e associados defendidos.

Desde o seu primeiro momento que a Lei do Arrendamento, que os Contratos Coletivos de Trabalho, que os Impostos e toda a legislação que abrange o sector foram as nossas bandeiras de luta. Volvido mais de um século as nossas exigências e preocupações, hoje em formatos e dimensões distintas, continuam a ser as mesmas.

A UACS viveu momentos únicos que marcariam sobremaneira o seu percurso e a sua cada vez maior importância no país e na história de cidade.

O movimento Republicano teria um forte apoio dos nossos empresários de então e se a Implantação da República foi bem-sucedida tal se deve aos comerciantes de lisboa que pela primeira vez agiriam politicamente, como relatado no livro publicado pela UACS, "A República atrás do Balcão".

Em Lisboa foram diversos os nossos dirigentes que assumiriam papéis de relevo na autarquia de lisboa, o nosso próprio primeiro Presidente António José Marques Leal, que presidiu á comissão instaladora, seria exemplo desta forte ligação entre a nossa instituição e o poder camarário, pois seria um distinto vereador da CML.

O incêndio do Chiado e a forma como se lutou para a recuperação de tão nobre zona da cidade mostraria também a nossa perseverança.

Mas fomos também ao longo deste século responsáveis pela criação de organismos que marcariam a diferença e que demostrariam a visão estratégica de atuação dos nossos dirigentes, os quais são ainda hoje fundamentais para as empresas da cidade, de que são exemplo, A ESCOLA DO COMÉRIO DE LISBOA e o CENTRO DE ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE CONSUMO.

Assim, chegamos de uma forma rápida a 2016, e porque é o presente e o futuro que a todos interessa, importante explicar o que é hoje o nosso sector.

O sector do Comércio serviços têm hoje um forte peso no volume de negócios do país, no volume de emprego gerado bem como no seu contributo para o PIB nacional. Quase 60% das empresas existentes a nível nacional são do comércio e serviços. Entre 2014 e fevereiro de 2016 foram os sectores onde se criariam mais empresas e que teve em simultâneo a maior taxa de redução de encerramentos e de insolvências. É o sector que contribui com mais de 50% da população ativa em Portugal.

Somos por isso uma classe que contribui sobremaneira para o crescimento do País e para a recuperação de Portugal.

Convido por isso todos os empresários a fazerem parte desta grande família e desta magnifica instituição que é a Casa do Comércio, e em conjunto contribuirmos para o seu engrandecimento e fortalecimento, só a nossa União, só o nosso esforço conjunto permitirá que possamos defender e lutar pelo nosso sector.

A todos BEM HAJAM

Facebook Linkedin Twitter Pinterest